Eu Me Meu Minha

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre o cavalo Nietzsche chorou!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu me meu minha

homem

despe-te de ti mesmo

e torna-te

HOMEM!

 

Que pode interessar à Humanidade o teu eu lamentoso ou inchado desdenhoso ou retorcido que pode querer a humanidade de ti mero fragmento de poeira ridícula abanada daqui para ali por ventos que sempre hão-de transcender-te?

Homem

deixa o eu quero

o eu sou

o eu choro

o eu rio

o eu sofro

começa a dizer nós

não o nós

 eu e tu

que para ti há-de ser ainda uma forma de dizer

 eu mais eu

 mas o nós verdadeiramente o nós

esse que envolve todos os homens

 

 

NÓS

assim

com esta maiúscula estreme

onde cabes tu

e caibo eu

e cabem os outros todos

 

Há dois egoísmos

um famélico e indigente

próprio do verme que se encolhe para não ser pisado

e esse lamuria

eu eu eu

por todas as esquinas

em todos os tons

de todas as formas

 

 mas há um egoísmo superabundante em que o eu é sempre um EU e em si envolve toda a Humanidade tornando-se gigantescamente um Nós

Escuta a voz universal a vibrar dentro de ti desentranha-a do teu centro e desentranha-te com ela e verás que crescerás para lá de ti mesmo

perder-te-ás mil vezes ondulando ou rastejando na dúvida de não te encontrares

mas que importa isso?

é apenas o teu eu que está a dissolver-se no todo primordial de que és parte e te dá significado

 

Se gemes se sofres se lanças atoardas no ar vazio é porque és cindido tornaste-te criatura una e jamais te encontrarás enquanto não mergulhares para te dissolveres no âmago da corrente universal onde a unidade te dará a única razão do teu ser

 

Entretanto esconde o teu eu esse eu pequenino e auto-complacente deixa-o repousar ou ser revoluteado

(que importa?)

põe-no no gelo ou deixa que o fogo o purifique

 

Faz a viagem

é tempo!

 

Quando regressares trarás contigo um outro EU que não precisará de enunciar-se tal como agora fazem esses pequeninos

eu me meu minha

e que bem fechado na sua caverna ou livre pelas aragens cristalinas de amanheceres imaculados não quererá mais gritar por si mesmo pois aprendeu a ser TODOS

 

 

 

(Dedico este texto a todos os que querem ser algo mais que a pequenez do seu eu e dirijo-o em primeiro lugar contra mim e contra Os Farrapos que de mim própria transcrevi e que já não me dizem; em vez de apagar o texto, vitupero-o!)

 

Uma resposta to “Eu Me Meu Minha”

  1. Maria Luisa Says:

    Se me deres autorização publico este texto no meu blog… consegues chegar com ele onde é preciso!
     
    Um abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: