O Homem Frígido

 

                                                               

 

                                                                Magritte (repulsivo, não é?)

 

 

 

                                         O HOMEM FRÍGIDO

 

 

 

 

Mas ela tem mais a dizer sobre o amor e sobre os homens. Vejamos. Uma vez, um desses espécimes (falo dos machos humanos) chamou-lhe fria que é, embora não cientificamente, mas, para todos os efeitos, com idêntico valor no incidente, exactamente o mesmo que frígida. Uma mulher frígida, por definição, manifesta falta de desejo e de resposta sexual, o que provoca uma intensa sensação de desinteresse face ao estímulo erótico, e consequente atitude passiva. Bela tirada, não acham? E contudo o que ela acabou por concluir foi que a frígida não era ela, de facto, mas sim ele, esta nova espécie, talvez não assinalada nos manuais dos sexólogos, mas existente e verificada – o macho frígido! O macho frígido é um caso terrível porque, só por si, vai tornar frígida qualquer companheira, por mais quente que de facto seja! Esse macho/homem que ela percebeu ser frígido, enquanto chamava frígida à companheira que nunca o foi, julga saber o que querem as mulheres, julga ter aprendido, em tempos idos, quando era um simples garoto imberbe, com uma mulher mais velha, tudo o que sabe sobre sexo… e ela pasmou, ficou presa de profunda e compungida estupefacção, pois ninguém aprende, de uma vez por todas, tudo sobre seja o que for – muito menos sobre sexo, já que o sexo implica relação e a relação faz-se com outrem e o(a) outrem não é a primeira mestra ou a sua imagem ou o seu fetiche! Ele chamava-lhe docinha, doçura, princesa, princezinha e, no acto de amor dizia-lhe sempre as mesmas palavras melífluas, como melíflua e enfezada, alegadamente terna, supostamente meiga era a totalidade do seu desempenho sexual (perdoem-me esta horrível expressão, mas é o que tenho!). Ele dizia que o sexo era essencialmente ternura, meiguice, ela respondia que não, que o acto sexual a ser executado, se fosse preciso, só podia ser animadoramente selvagem, furioso, carnal até ao sangue… mas ele, o frígido, respondia que não, que o sexo tinha que ser doce, ou melhor, para ele era doce, calmo, silencioso… mas para ele, como e com quem? De facto, era tão silencioso, tão calmo que ela suspeitou que nem sequer existia ( o acto, o sexo!) e reparem, e aturdam-se: esse macho/homem frígido até fingia orgasmos como as tais frígidas do sexo feminino que, geladas como o mármore, inventam estertores que não sentem! Acreditam no que vos digo, ou seja, que ela constatou frigidez autêntica na exibição sexual daquele espécime estranho, homem, e no entanto frígido, como costumam ser as mulheres (ao que parece)? Pois eu garanto-vos que ela mo revelou em segredo e garanto-vos que tanta frigidez a inibiu a um ponto tal que, para não o arranhar, morder e esbofetear, preferiu evitar tão lamentável simulacro de ternura no acto mais bárbaro dos humanos que é o preâmbulo do êxtase sexual. Oh bem sei que isto é polémico, e já vejo as mulher(zinhas) essas que, cheias de pudor ou de fantasias pseudo-religiosas ou de cargas repressivas hereditárias reclamam, do macho, muito cuidado, muita cautela, como se fossem um pedaço de nada! Mas ela, a minha heroína, sabe bem que não é nada disso: tal como o macho/homem, também a fêmea/ mulher precisa de se superar e atingir o mais bravio da sua animalidade, só possível no acto sexual. Ora, com um macho/homem frígido, como é que ela não teria que ser também uma fêmea/frígida?

Homens frígidos eis o que ela descobriu e aqui deixo, como nota, para que os senhores sexólogos decidam estudar de uma vez por todas a frigidez masculina, que pode bem ser a causa determinante da feminina (de que depois eles, os frígidos, se queixam, nem percebo bem porquê!) E antes de discordarem do que aqui lhes digo, observem bem, analisem: para isso são investigadores, cientistas, não é?

 

3 Respostas to “O Homem Frígido”

  1. moisés Says:


     
    Sem comentários porque a malvadez e a mediocridade estulta não merec outra atenção. Repare que não me escondo atrás de máscaras e não mais farei comentário algum. Sugiro-lhe bom senso.

  2. Alcyone Says:

     
    "Não há nenhum pensamento importante que a burrice não saiba usar, ela é móvel para todos os lados e pode vestir todos os trajes da verdade. A verdade, porém, tem apenas um vestido de cada vez e só um caminho, e está sempre em desvantagem"Robert Musil em O Homem sem Qualidades
     
    REGINA NÃO ESMOREÇAS…TEM SEMPRE PRESENTE O «ESTAGIRITA»…AMIGO DE PLATÃO, MAS MAIS AMIGO DA VERDADE..
    E TEVE QUE RETIRAR-SE DE ATENAS PARA EVITAR OUTRO ATENTADO CONTRA A «FILOSOFIA»!
     
    «TALASSA», OBRA DE SADOR FERENCZI DEVERIA SER MAIS DIVULDADA!
    VIMOS DO VENTRE DA MULHER…E TEMOS HORROR À AUTENCIDADE DO MESMO
    VENTRE  EM  ORGASMO NÃO DISFARÇADO…AS ÁGUAS PRIMORDIAIS ASSUSTAM!…
     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: