SENTIR

 
Monet
 
 
 
 
 
 
SENTIR
 
 
 
Sentir  apesar de tudo sentir
o impulso da vida rumo às estrelas
alquimia pendurada em silêncios nocturnos
vazada em preces de suprema alegria
preces ouvidas em catedrais suspensas
no ar livre fecundo de florestas e mares
 
 
Sentir apesar de tudo sentir
amizade ou medo
solidão ou paz
euforia ou tédio
languidez ou pressa
 
 
Sentir apesar de tudo sentir
e louvar o vento
porque lançou nos ares
a promessa altiva da voz cristalina
outrora perdida em turbilhões de espanto
 
 
Sentir apesar de tudo sentir
o espanto de estar vivo
e de ter feito vida
em cada pisada dos dias nascentes
e em cataratas jazentes em lagos de crepúsculo
 
 
Sentir apesar de tudo sentir
a respiração do ser nas enseadas da mente
e o bafo crescente dos privilégios da alba
tecidos em mistério que o sol denuncia
 
 
Sentir apesar de tudo sentir
no refúgio breve
duma sombra errante
no côncavo tranquilo
de um abrigo de vento
na atmosfera prenhe
de murmúrios vagos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: